Mirror Match
23/06/2018 10:00 / 4,133 visualizações / 5 comentários

Mirror match, ou no português literal, “partida espelho”, é quando você enfrenta um jogador com o mesmo deck que o seu durante um torneio. Diferente dos demais jogos, no mirror match você teoricamente já conhece todas as fraquezas, forças e limites do deck que está enfrentando, facilitando o entendimento do confronto.
 
Ledo engano! Por mais que você conheça todas as cartas e o plano de jogo do deck de seu oponente, isso não significa que você saiba jogar contra o deck. Este inclusive é um dos maiores erros dos jogadores ao se prepararem para um torneio grande. Investem diversas horas para treinar contra os demais decks do ambiente, mas relegam os treinamentos contra mirror por acharem que só por jogarem com o deck dominam o confronto.
 
Evidente que a importância de se treinar o mirror match está totalmente correlacionada com a escolha de seu deck. Quanto mais utilizado o seu deck for no ambiente, maior será a relevância em treinar esta partida. Por exemplo, se decidir disputar o CLM Pauper com UR Skred ou Boros Monarch, a chance de enfrentar algum mirror durante as rodadas é gigante, mas se sua escolha for Mono Black LD ou Soul Sisters, esta chance é reduzida exponencialmente.
 
 
O primeiro passo para se dar bem no mirror é entender, nos detalhes, o que se passa no jogo. Cada jogada precisa ter um propósito e uma justificativa plausível. Por mais que sua linha de pensamento esteja incorreta, é melhor errar desta forma do que realizar jogadas no automático sem entender as nuances do confronto.

Existem dois exercícios ótimos que te ajudam a criar este hábito de escolher a melhor jogada baseada em uma linha de pensamento. O primeiro é dividir com os seus companheiros de treino jogadas de que você tenha dúvida e em que sinta dificuldade de tomar uma decisão natural, compartilhando o raciocínio de todos jogadores para chegarem a um senso comum

Outro ótimo exercício, que depende do Magic Online, é rever replays de partidas já finalizadas em conjunto com os seus companheiros de treino para identificar oportunidades desperdiçadas e entender em qual momento do jogo a partida foi perdida.

Para ilustrar o primeiro exercício e facilitar o entendimento, utilizarei o mirror de UR Skred como exemplo:
 
Jogador A: Começa a partida com Ilha e passa o turno.
Jogador B: Começa a partida com Ilha, Faerie Miscreant e passa o seu turno.
Jogador A: Baixa uma segunda Ilha e possui em sua mão 1 Spellstutter Sprite, 1 Counterspell, 1 Faerie Miscreant, 2 Ilhas e 1 Gush.
 
Qual a jogada correta a ser feita?
 
Existem duas possibilidades:
 
 - Passar o turno e ter Counterspell ou Spellstutter Sprite para lidar com as principais ameaças do oponente.
 - Baixar Faerie Miscreant e passar o turno com uma Ilha em pé.

Estou excluindo a possibilidade de devolver as duas Ilhas para mão e fazer o Gush, pois não há necessidade de realizar esta ação em um turno tão cedo da partida.

Antes de tomar a decisão, é preciso ter em mente qual a pior carta que o oponente poderia fazer no turno seguinte. Algum cantrip? Augur of Bolas? Ninja of the Deep Hours? O que você acredita que poderia alterar o status da partida?

De todas as opções possíveis, o pior cenário é o oponente baixar um segundo terreno e descer um Ninja através da habilidade de ninjutsu, devolvendo a Miscreant para mão. Afinal, além desta jogada possibilitar que o oponente compre uma carta a mais no turno seguinte, fará com que você tenha que lidar rapidamente com o Ninja para não ficar muito atrás na partida.
 
Como se trata de uma jogada que não pode ser anulada, e sua mão não possui nenhuma remoção capaz de lidar com o Ninja rapidamente, a jogada correta a ser feita é baixar sua própria Faerie Miscreant para que você tenha a possibilidade de trocá-la com a fada do oponente caso ele opte por atacar.
 
Mantendo o UR Skred como exemplo, abordarei alguns questionamentos que realizo a mim mesmo quando procuro entender se estou minimamente preparado para jogar um mirror. Se as respostas estiverem claras, significa que está no caminho certo. Agora, se possuir muita dificuldade de responder este questionário, aconselho intensificar a carga de treinamento do mirror para que as respostas surjam de maneira natural. Vamos às perguntas:
 
Como as partidas estão sendo definidas?
 
Mirror de UR Skred não se trata de uma corrida, portanto dificilmente você verá ambos jogadores atacando com um Delver de cada lado brigando para ver quem mata o outro primeiro. Muito pelo contrário — este confronto é uma troca constante de recursos com ambos jogadores disputando o controle da partida.

Normalmente, criaturas e mágicas são trocadas por counters e spot removals, sendo muito comum o controle do jogo ser alterado algumas vezes durante a partida. Não se espante se um Gush do topo ou um Augur of Bolas tutorando cantrips resolva uma partida quando menos se espera.
 

 
Card advantage é o grande diferencial deste confronto. Como há uma troca constante de recursos, qualquer carta que oferecer card advantage passa a ter valor. Augur of Bolas , Gush, Ninja of the Deep Hours e Spellstutter Sprite são os principais destaques, com a Faerie Miscreant vindo logo atrás.
 
Os spot removals são importantes para lidar com as ameaças do oponente e os cantrips servem para encontrar a resposta certa na hora certa, mas são as cartas que proporcionam card advantage as quais você precisa garantir que não sejam anuladas.

O jogo é definido por quem conseguir assumir o controle da partida tendo respostas suficientes para lidar com as principais ameaças do oponente.
 
Qual a postura a ser adotada?
 
Esta é uma partida em que você assume diversas posturas. Basicamente é mais importante tentar não perder antes de querer vencer o jogo. Não adianta ter pressa para definir a partida se um Ninja não respondido pode fazer com que todo controle do jogo seja perdido.

Quem estiver atacando (normalmente) é o jogador que está à frente na partida, mas não necessariamente isso faz com que você precise atacar independente das consequências. É preciso saber o turno certo para ser mais agressivo e quando jogar defensivamente é a melhor opção.
 
Atacar com a sua Faerie Miscreant para cima da Miscreant de seu oponente no início do jogo pode ser um bom blefe caso queira forçar a troca por não ter nenhum Ninja na mão, mas se nesta mesma mão tiver uma Spellstutter, adotar uma postura mais defensiva pode ser o ideal, já que te possibilitaria anular um Augur of Bolas no turno seguinte.
 
Se eu pudesse definir uma única postura para esta partida seria: jogue para não perder e, quando acreditar que assumiu o controle da partida, identifique qual a melhor forma de ganhar. Não jogue mágicas avulsas nos turnos em que o oponente passa com todos os terrenos em pé e a mão cheia de cartas — espere um momento da partida em que você consiga jogar duas mágicas no mesmo turno, sendo a primeira de isca.

Quais cartão estão fazendo a diferença?
 
As únicas cartas do UR Skred que custam mais do que duas manas são Gush e Ninja, sendo que o Ninja normalmente entra em jogo via ninjutsu, habilidade que não pode ser anulada. Dito isso, dá para entender o quão importante é Spellstutter nesta partida.

Além de anular as principais ameaças do oponente, Spellstutter é um dos principais alvos do Ninja e pode gerar ainda mais card advantage se for devolvida para mão, fornecendo mais um counter com a mesma fada.
 
Augur of Bolas é outra carta fundamental, pois além de gerar card advantage, passa a ser um ótimo bloqueador de Ninjas, forçando o oponente a gastar um spot removal no tritão e abrindo espaço para criaturas mais decisivas.
 

 
E, por último, mas não menos importante, temos o Ninja of the Deep Hours. Carta que consegue entrar em jogo sem ser anulado, causando pânico em turnos em que o oponente não possua resposta imediata. O jogador que conseguir no mirror atacar em mais de um turno consecutivo com o Ninja dificilmente perderá a partida, tamanha a vantagem de recursos gerados pela carta.
 
Quais são as piores cartas e por quê?
 
A pior carta disparada deste confronto é o Delver of Secrets Como após o sideboard o oponente entrará com Stormbound Geist e Electrickery, dificilmente o Delver conseguirá atacar de maneira consistente, sendo um péssimo top draw no late game.

Manter o Delver entre as 60 cartas iniciais potencializa os Electrickery do oponente, dificultando o plano de gerar mais card advantage do que o adversário. Como Delver, diferentemente das demais criaturas do deck, não te permite comprar uma carta ou anular uma mágica, não vejo razões para que continue no deck.
 
Vejo muitos jogadores não entendendo como Delver pode ser pior do que Miscreant nesta partida. Apesar da fada ser uma criatura menos agressiva do que o humano, Faerie Miscreant possui um papel fundamental para ativar o ninjutsu do Ninja no early game, potencializar as Spellstutters, além de te dar a possibilidade de comprar uma carta a partir da segunda fada que entrar em jogo.
 
É importante lembrar que esta partida é um teste de paciência entre os jogadores — não há necessidade de se afobar e tentar decidir a partida em poucos turnos. Normalmente, quem fica ansioso e começa a jogar no automático, sem prever o desenrolar do jogo nos turnos seguintes, é o jogador que cometerá o primeiro erro, podendo custar, inclusive, a partida.
 
Estes questionamentos e exercícios propostos no artigo podem ser utilizados não somente no mirror match, mas como um “check list” para todas as partidas que estiver treinando para um torneio grande.
 
-
Já tentaram praticar estes exercícios em casa? Possuem algum outro método para melhorar o mirror match e gostaria de compartilhar com os demais leitores?
 
Fiquem à vontade para utilizar a sessão de comentários, e estou à disposição para tirar qualquer dúvida que tenha surgido.
 
Obrigado pela leitura e até a próxima!
 
 
 
TAGS: 

Ricardo Mattana ( Thorgrim)
Ricardo, 31 anos, carioca residente em Barueri, é formado em Propaganda e Marketing e teve seu primeiro contato com o Magic em 1999. Atualmente é um grande entusiasta do Pauper, admirador de cartas comuns históricas e apaixonado pelo Magic raiz!
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Hora de CLM em Dobro

Dobradinha com BYE 1 na Final do CLM11.


Habemus Vaga!

Como conquistei minha vaga para o CLM Pauper.


Pauper e o CLM

Análise de uma Super Etapa do CLM Pauper.


No Grind: Standard, Modern e Pauper no CLM

Reports e discussões sobre cada um dos fronts do CLM11.


2018 - O Ano do Pauper

A ascensão do formatos das comuns.





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

XirudaBossoroca (28/06/2018 17:30:46)

Aula de artigo!

Luka_Snoog (27/06/2018 07:04:09)

Ótimo artigo! Ensinar as perguntas que devem ser feitas ao invés de passar a formula pronta é muito, mas muito, mais valioso.

Punisher07 (25/06/2018 11:30:47)

show o artigo man

Rodolpho25 (23/06/2018 14:15:48)

Dahora é mirror de fractius, os fractius cada um 9/9 , só alegria

H3710_C4r705 (23/06/2018 10:44:00)

Muito bom Mattana!