O que vai voltar? - Modern
09/01/2018 15:00 / 13,667 visualizações / 126 comentários

 

Chegou Janeiro, edição nova saindo e com ela o assunto que retorna a cada três meses: Atualização na Banlist do Modern!!!!!


O modern começou como o formato mais "preconceituoso" de todos os tempos, com uma lista de pré-ban (cartas que já saíram banidas no formato antes mesmo do primeiro dia de formato oficial) de 21 cartas, que eram:

 

Ancestral Vision
Ancient Den
Bitterblossom
Chrome Mox
Dark Depths
Dread Return
Glimpse of Nature
Golgari Grave-Troll
Great Furnace
Hypergenesis
Jace, the Mind Sculptor
Mental Misstep
Seat of the Synod
Sensei's Divining Top
Skullclamp
Stoneforge Mystic
Sword of the Meek
Tree of Tales
Umezawa's Jitte
Valakut, the Molten Pinnacle
Vault of Whispers

 

O Modern veio para substituir o Extended (antigo T4), então fazia bastante sentido se espelhar nos antigos metagames do formato e ver quais cartas deram mais trabalho ao longo dos anos.
 

Fadas e Scapeshift foram os decks mais presentes no meta do final do Extended (Lorwyn-Mirrodin Besieged), então fazia sentido Bitterblossom, Ancestral Vision e Valakut, the Molten Pinnacle tomarem o corte preventivo. Chrome Mox, Sword of the Meek e Dark Depths fizeram parte do Tepths, deck criado por Gerry Thompson, que marcou presença na era que Mirrodin ainda era T4. Jace, the Mind Sculptor e Stoneforge Mystic tinham acabados de ser banidos do Standard e Extended, não dava pra correr o risco de ter um Ban num formato tão novo quanto o modern (Oh Wizards, como você é inocente). E claro, outras pérolas que fariam o novo formato ser composto por apenas um ou dois decks (Sensei's Divining Top, Skullclamp, Umezawa's Jitte, Glimpse of Nature, Hypergenesis , Lands Artefato, Golgari Grave-Troll e Dread Return).

 

Não demorou muito até o Pro tour Philadelphia 2011, primeiro grande torneio do formato, para vermos o que realmente tinha de errado.

 

Alguns anos, bans e unbans, nós temos a seguinte Banlist em Janeiro de 2018:

 

Ancient Den
Birthing Pod 
Blazing Shoal
Bloodbraid Elf
Chrome Mox
Cloudpost
Dark Depths
Dig Through Time
Deathrite Shaman
Dread Return
Eye of Ugin
Gitaxian Probe
Glimpse of Nature
Golgari Grave-Troll
Great Furnace
Green Sun's Zenith
Hypergenesis
Jace, the Mind Sculptor
Mental Misstep
Ponder
Preordain
Punishing Fire
Rite of Flame
Seat of the Synod
Second Sunrise
Seething Song
Sensei's Divining Top
Stoneforge Mystic
Skullclamp
Splinter Twin
Summer Bloom
Treasure Cruise
Tree of Tales
Umezawa's Jitte

 

Da Banlist original, Ancestral Vision, Bitterblossom, Golgari Grave-Troll, Sword of the Meek e Valakut, the Molten Pinnacle foram desbanidos (além de Wild Nicatl, que foi Banido e depois desbanido) e apenas o Grave-Troll se mostrou um real problema pro formato (Não alimente os trolls!). Mas a grande pergunta, depois disso tudo é: Será que é hora de mais alguma coisa voltar para nosso querido formatinho?


Se existe um formato do chororô é certamente o Modern, não acredito que todas as reclamações sejam infundadas, só que muita gente reclama de um arquétipo sem esperar o field se adaptar. Vejamos o exemplo de Death’s Shadow, há 6 meses atrás era com certeza o deck mais jogado de todo o formato por uma margem bem alta, hoje em dia as coisas estão mais equilibradas. Claro que nós não queremos que o formato fique “desregulado” por muito tempo, mas acaba se acertando. Não faz muito tempo que haviam milhões de reclamações sobre UR Storm ser o melhor deck do Modern e hoje é uma 

parte pequena do meta.

 

Como já falamos no passado, a Wizards deixa claro alguns motivos pelos quais ela gosta de banir cartas:


 - Prejudicar a diversidade do formato;
 - Atrapalhar o tempo da rodada (Estou falando de vocês Sensei's Divining Top e Second Sunrise);
 - Ser rápido e consistente demais para o formato em questão (acelerações do Storm e Summer Bloom).

 

Quando penso sobre unbans eu gosto de dividir em três categorias:

 

 - Grandes chances de ser OK
 - Muito arriscado para voltar
 - Se isso voltar, teremos um sério problema.


1 - Grandes chances de ser OK.

 

 

WTF? Orelha, você tá louco? Deixar o infect matar turno 2?


Sim, eu sei que o Blazing Shoal dá a possibilidade do Infect matar turno 2. Sabe o que mais dá essa possibilidade? O PRÓPRIO DECK DE INFECT!!!! Já vi diversas vezes um jogador abrir de mana, Elfo, desvirar e fazer múltiplos Mutagenic Growth ou Might of Old Krosa, e finalizar no segundo turno, mas isso não acontece com tanta consistência, principalmente pelo fato do Modern ser um formato com muitas criaturas. Meu ponto é: Nós só vimos Blazing Shoal no Modern em adição à poderosas cantrips, Ponder e Preordain, acredito que jogar com 4 Blazing Shoal e pelo menos 4 cartas vermelhas para removê-las seria piorar o deck, que agora não tem nenhuma cantrip de card selection, por isso acredito que Shoal seja safe.

 

 

Sim, é complicado desbanir cartas que foram banidas por serem “opressivas demais”, mas acho que BBE tomou um tiro que era para o Deathrite Shaman, e apesar de não achar que desbanir a Elfa seja quase sem impacto para o formato (como foi com a Sword of the Meek), acredito que seja um bom momento para isso. Claro, NNEturno 4 colocando uma Liliana of the Veil, depois de fazer uma no turno 3, é bem forte, mas nada que o formato não consiga contornar. Lembrando que com a mudança de Converted Mana Cost das spells split a Bloodbraid Elf não consegue mais conjurar Bust (Boom/Bust) quando revela a split card no cascade, BBE também te obriga a utilizar grande parte dos seus recursos na fase principal, que seria ruim contra controles sem bixos e manlands (não que seja ruim), e claro, voltar a Elfa faria o glorioso Jundão do amor se estabilizar novamente no formato.

 

 

Perae Orelha, você basicamente tá dizendo que quer jogar o mesmo modern que jogava há alguns anos…


Não é bem assim, posso me explicar: Twin foi banido com o argumento de ter um alto número de jogadores utilizando o deck em grandes torneios (mais de 11%). Já vimos Death’s Shadow e Eldrazis ultrapassar essa marca e nada aconteceu, feijoada. Pra galera que reclama do Valakut ser tier 1, Twin no field mudaria isso com certeza, fora que não tivemos a possibilidade de ver Twin x Eldrazi para ter uma ideia se o URx era tão mais opressivo que esse monte de monstro incolor. Além do fato de Twin de volta para o field seria finalmente uma good matchup para os BGx terem alguma vantagem para voltarem para as top tables.


2 - Muito arriscado para voltar.

 

 

Glimpse é uma carta que tem apenas dois destinos: Ou ser desbanido e não fazer absolutamente nada no formato (fora para os Elfeiros de plantão) ou simplesmente quebrar o formato no meio devido às novas tecnologias que o Elfos tem (Dwynen's Elite e Shaman of the Pack), provavelmente é melhor não desbanir uma combo engine que pode matar turno 2.

 

 

Affinity vai e volta em popularidade, mas com certeza ficaria muito melhor com lands artefato que geram mana colorida, claro, o field poderia adaptar-se para utilizar mais Shatterstorm effects para se livrar da mesa inteira de uma vez, no entanto, acredito que a quantidade de games ganhos pelo terreno ser +1 a mais no Cranial Plating, ou um marcador a mais para o Arcbound Ravager, seria o suficiente para não valer a pena voltá-los. Além do fato de que Eggs já é um deck perigoso no formato, adicionar consistência para um deck que já tomou ban por ser lento demais não me parece muito sábio.

 

 

Muita gente não jogou Standard/Extended durante a gloriosa era do Caw Blade e nessa época todo deck tinha pelo menos uma de duas coisas: 4 Stoneforge Mystic ou 4 JJace, the Mind Sculptor. Quem leu meu artigo sobre Stoneblade, viu que durante a era do Caw Blade enfiavam Stoneforge em tudo, UW, Esper, Bant e até no UR Twin que acabou virando UWR. Não acho safe desbanir SFM do Modern, a carta é muito fácil de ser splashada, as cartas que ela busca são incolores, então aumenta ainda mais a range de decks que ela joga e uma SFM no 2 não-respondida nos traria de novo o EMPASSE MEXICANO de briga de Batterskull. Só acho seguro desbaní-la se banir Batterskull, mas desbanir uma carta para banir outra não me faz sentido, melhor não voltar.

 

3 - Se isso voltar, teremos um sério problema.

 

 

A única maneira que eu vejo de desbanir DRS é banir todas as 10 fetchlands, é…  Não vai rolar!
A carta é muito forte, versátil e é tão eficiente no turno 1 quanto no turno 10. Aceleração, Lifegain, graveyard Disruption, Kill Condition, Blocker para 1/X, a carta faz tudo (menos ser válida no Modern)!! Durante a época do Shaman, o Burn Splashava Verde e Preto para usá-lo, e na era do Treasure Cruise o burn usava Azul, ou seja, se o Burn tá usando cartas boas, o formato tá errado! Daria a todos os aggros e midrange um ótimo ramp/finisher, se diversidade é o que você considera saudável melhor deixar esse elfinho junto do Mental Misstep.

 

 

Não é uma carta que se fala muito, mas vez ou outra vejo alguma discussão sobre desbanir Hypergenesis ser Ok. Após ver alguns videos de NO-BAN MODERN, Hypergenesis é claramente quebrado e muito arriscado ter essa carta no formato, melhor ficar com as outras quatro do ciclo (Ancestral Vision, Living End, Restore Balance e Wheel of Fate ), um deck com a capacidade de combo turno 1, graças a Simian Spirit Guide, que coloca Emrakul e amiguinhos em campo é o oposto do que a Wizards quer pro formato.

 

 

Com certeza a carta mais polêmica da banlist. Milhares de “especialistas” apostam que Jace seria tão opressor no Modern quanto o 5 Color Saprófitas Control, e eu tenho uma péssima notícia… Se você achava Eldrazis opressivos, é que não viu a quantidade de decks que utilizariam JTMS. 


MAS ORELHA, VOCÊ SE VIRA INTEIRO PARA FAZER O JACE NO TURNO 4 E EU VOLTO TE MATANDO! RISOS RISOS RISOS!
 

Isso pra mim é o comentário de alguém que nunca jogou de controle ou contra um deck controle. De fato, um Jace pelado no turno 4, antes de ter dado a cólera, não me parece muito opressivo, mas você já pensou no Jace turno 8 depois de limpar a mesa, dar uma Vendilion Clique e ter pelo menos um counter de backup? Imbatível é a definição. 


Se você acha aquele UW ou UWR control chato, imagina ele ter um Brainstorm no palito, que estabiliza mesa, compra os outs pra virar o jogo e literalmente finaliza, não é algo que o modern suporta. Por favor Wizards, não nos faça jogar com Jace, não vai ser bom pro formato (ou se for desbanir, me avisa antes, que eu compro 50 e fico bilionário).

 

 

Alguns Pros, como Brian Demars, vivem falando que Jitte seria saudável no Modern, me admira ouvir isso de um jogador de Legacy.
Eu sou o cara do Death and Taxes, se tem alguém que sabe como é ruim um aggro tomar UMA ativação de Jitte, esse cara sou eu. Imagina o Modern, um formato baseado em criaturas, até alguns combos são creature-based, Jitte seria o ser supremo para saber quem está na frente, lembrando que a regra de Lenda mudou, a sua Jitte não quebra mais a minha, decks sem destruição de artefato maindeck simplesmente sucumbiriam à 1 ou 2 conectadas do artefato lendário. Se for pra ter algo que quebre o formato prefiro jogar com Jaces.

 

Em menos de duas semanas teremos a atualização oficial que pode mudar o destino do Pro Tour Modern, até lá ficamos apenas na espera. Lembrando que tudo que falei é apenas minha opinião, poste a sua nos comentários para discutirmos quais cartas você acharia interessante/necessário Desbanir!

 

 


Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Dominária no Modern

O impacto da nova edição no formato.


BBE Shift no Modern

Report Open do CLM.


Na Grande Final do CLM11: RG Ponza

Modern: RG Ponza, de Francisco Camargo.


O Submundo do Modern - Soulflayer Surprise

Como construir seu próprio Frankenstein.


É bom não poder responder tudo no Modern

Entendendo as características do formato.





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Aylan (16/01/2018 17:13:00)

Discordo de todos os seus pontos quanto ao Blazing Shoal, SFM e a Jitte. Particularmente qudiscordo da sua lógica "modern é um formato dominado pelo aggro portanto não pode ter nada que deixe o aggro em xeque".
Concordo com o Jace mas por outros motivos

Chii (16/01/2018 17:12:16)

Quando sai a lista galera???

greich (15/01/2018 23:17:10)

realmente a falta de conotação dificulta um pouco o próprio entendimento do texto, mas preferi seguir por essa linha até porque eu realmente acredito nisso, acho que colocam mais empecilhos do que realmente existem. Tentaram 2 vezes Golgari-Grave Troll, não deu certo, paciência, ban nele e fica na geladeira.

VIP OURO [sm]_Frejat (15/01/2018 15:13:55)

Eu acredito que ele tenha sido irônico, tá meio dúbio o texto, mas pelo que entendi ele não foi a favor de nada, zombou dos argumentos que expôs.

dussilek (15/01/2018 13:39:43)

No changes, porem adios energy.

charles_bronson (15/01/2018 13:25:42)

as pessoas não pensam. batter t3 é risível. só quem sofre são os controls. e olhe lá.

Rubens420 (15/01/2018 12:21:23)

fatal push na carinha dela

malvescastro (15/01/2018 11:11:53)

Problema da bater é que poucas são as respostas efetivas porque ela é uma ameaça extremamente resiliente, devido a habilidade de retornar ela pra mão. Eu realmente não acho que o modern tem condições de lidar bem com Gaga não, no Legacy uma ativação dela pode te trazer de volta de um jogo perdido, é bem forte.

max_goblin (15/01/2018 11:07:08)

Eu ia gastar um tempo explicando pq tem muito ban que deve manter, e como tem comparação absurda.. esquece.. vai um textão que ninguém lê. Felizmente Magic não é democracia, e a wizards sabe, melhor que a maioria de seus jogadores, o que está fazendo.

Vida segue, e veremos a listagem.

Pra quem acha que deve desbanir metade da lista, faz o seguinte, entra no youtube, procura FOREST BEAR STUDIOS NO BAN LIST vai ter vários vídeos, com esses cards aí que vc acha, de boas.. aí vc assiste e comenta depois ;)

greich (15/01/2018 10:23:50)

Cara, eu só concordo com você no que diz respeito a BBE, Punishing Fire e Gaga, desculpe, mas num formato onde storm pode ganhar no t4, Karn entra no t3 já causando, Valakut ta lá, rampando... pessoal tem medo de um Batterskull no t3 que vai começar a bater no t4... mano, tem MUITA resposta no formato

Opb_Cpm22 (14/01/2018 08:20:37)

Falar o que Oreia ?

ThorNeira (13/01/2018 20:15:14)

No changes. Formato tá ótimo.

Creighton (13/01/2018 18:43:32)

uma vez eu tava jogando contra affinity e eu castei um jace que me salvou, se fosse esse jace ai eu teria perdido. Ele pode voltar sem problemas.
Algumas cartas nessa banlist ai que são muito lentas, devagar mesmo.
Bloodbraid Elf é nada mais que um 3/2 Haste, eu prefiro levar um elfo + uma Liliana no turno 4 do que levar um Karn no turno três. (não vou comentar Ulamog porque não precisa)
A wizards ta muito mais preocupada com o Snapcaster mage do que qualquer outra coisa portanto eu acho que Deathrite Shaman pode voltar, ja que ele é uma resposta direta, não tem nem necessidade de banir fetchlands pra isso. O Splinter Twin só está banido pq algum estagiário lá deu a brilhante idéia de não banir Blood Moon.
Punishing fire é lenta demais, estamos em 2018 já.. onde decks limpam a sua mão e atacam com 9/9 double strike. Vocês ai com medo de um artefato que tem lifelink cria vergonha na cara, joga num formato que tem valakut nunca tomou 35 não ?
Ah esses seres humanos...

Bruno_Orelha (13/01/2018 16:56:23)

É exatamente esse o argumento do Jace! Fora o fato de combos poderem subir jace no g2 para atacar com novos ângulos. um Storm fazendo Jace turno 2 contra um oponente que se tapou turno 1 para fazer uma serum seria devastador.

VIP OURO [sm]_Frejat (13/01/2018 01:25:56)

Gente, imagina Jace num bant midrange, num sultai midrange, num grixis midrange, concordo que o card num hard control possa não ser tão opressivo, agora em midranges, a versatilidade e o excesso de recurso que ele pode fornecer é muito abusivo, brainstorm todo turno no modern é surreal, ele limpa, passa, chama de amor, não é atoa que joga tanto no legacy e não só em controls, não foi há tanto tempo assim que o reid duke abusou de dorks para fazê-lo turno 3, dorks há de sobra no modern, tudo bem, no modern não existe leovold ou TNN, mas há reliquary, tarmogoyfs, spellqueller, Deaths Shadow, muita coisa boa para protegê-lo, recursos como pushs, paths e qualquer outra porcaria de remoção barata, o card desbalanceia muito a mesa quando encaixado, qualquer um que já jogou contra sabe como ele consegue virar jogos ganhos, é muito difícil você lidar com brainstorm todo turno cavando a remoção, a tranqueira do planeswalker devolvendo seu bicho, controlando com fateseal, qualquer deck que leva azul iria encaixar uns 2 ao menos, 4 em controls, 3 em midranges com dorks, 2 em shadows, é um card muito forte.

GENERALLEE (12/01/2018 21:49:58)


PESSOAL chora pelo jace, mas eu tbm acho que ter uw controle com um coringa extra seria otimo, a field lidaria bem com isso, só o bolso de quem não tem iria doer, pois ele retornaria a faixa dos 300 reais facil

malvescastro (12/01/2018 17:29:09)

Quanto ao argumento do JTMS melhorar demais os controles ser um problema, eu discordo. Acho muito mais preferível que um UW Control da vida tenha uma ferramenta pra efetivamente encerrar a partida do que controlar o jogo por completo e ficar turnos e turnos a fio tentando juntar mana e recurso pra resolver uma ameaça e encerrar. Jace seria forte, ótimo finisher pra controle, mas sem as cantrips e free spells do legacy (a nível de exemplo), não jogaria metade do que ele joga lá. Eu realmente acredito que é uma das cartas que mais vale a pena arriscar o desbanimento. Quanto as demais, concordo com quase todas, única exceção seria o Twin, pois acho que o formato ficou bem melhor sem ele.

dergam (12/01/2018 14:55:48)

Cartas para unban:

ArmySpy (12/01/2018 00:31:52)

Concordo que SFM poderia trazer mudanças no formato... Mas não acho que ela melhoraria o Jeskai atual. Eu realmente não saberia o que tirar do deck e nem quantas cópias seriam...
A intenção da SFM é acelerar um batterskull no campo (e por isso teria que vir na mão rápido, e por isso seriam 4 cópias dela mais o Artefato). Só ai já são 5 cartas... E 5 cartas que não são alvos de snapcaster no grave. Fora que após o batterskull levar o primeiro hate, as outras 3 cópias da SFM seriam completamente inúteis no deck.

rafaelmoraes (11/01/2018 21:57:08)

Discordo desse "chute". Definição de tier 1 no modern é meio complicado, mas o Jeskai foi o 9 deck q mais fez top resultado em dezembro passado e é o 7 que mas fez em janeiro no tcdecks. Ele ganhou um open semana passada na scg e teve um UW que ficou em segundo lugar no gp santa clara semana passada. Então se esses decks (UW e UWR) não são tier 1, estão muito mais muito proximo disso. E acho que é inegavel que stoneforge melhoraria eles nao é? Se já nao sao tier 1, ctz q passariam a ser indiscutivelmente.

Raimek (11/01/2018 21:30:56)

Por chute, eu diria que chance de sfm fazer qualquer deck top tier é 0, ela não irá ser metade do que ela é no legacy sem jittle, ela não ajuda em nada contra os combos e no taxes teria que tirar os leonino arbritos...

Jtms seria insano no modern, card quality, lock top deck, nossa seria insano demais para o formato

VIP STAFF sandoiche_13 (11/01/2018 19:43:24)

Só para complementar num ponto que achei relevante. Crumble to Dust funciona muito bem no RG Valakut porque o deck consegue rampar e fazer no Turno 3 quase sempre. Nos outros decks, beira a "unplayabilidade", inclusive porque a maioria dos outros decks conseguem encaixar outras formas de disruption (anulações, descartes, Ghost Quarter), enquanto o Valakut está restrito às cores RG e não consegue encaixar GQ/Field of Ruin pela sua filosofia de jogo dependente das Valakuts mesmo sendo um deck de duas cores.

charles_bronson (11/01/2018 17:38:19)

sério que SFM é ameaça e blazing shoal não é por conta de ponder/preordain? você obviamente sabe o que o pacto verde faz né? e que tem outros discards outlets para evitam jam na mão né...

rapha_seraph (11/01/2018 15:43:23)

Concordo que SFM não é ameaça, mas de acordo com as categorias do Orelha, eu classificaria ela como "2- Muito arriscado para voltar". A pergunta a se fazer é: quais são as chances de todo deck com Path to Exile adotar o pacote Stoneforge? Isso mais um arquétipo "novo" (Caw Blade) focado na SFM, mesmo que seja tier 2. Se acontecer qualquer coisa perto disso, é uma calamidade bem maior que o que justificou o ban do Twin, eu não correria esse risco se estivesse tomando decisões de unban.

Dito isso, o Shoal pode ser Ok hoje em dia, mas o que o formato ganha com ele? Acho que ele fica melhor quieto aonde está.

Por fim, as opiniões sobre o JTMS variam de totalmente Ok a PRERIGO absoluto. Eu não tenho opinião formada a respeito dele, mas imagino como o comitê se coça ao considerar desbanir o card. Ele é definitivamente o mais polêmico e mais icônico da lista.

Hollow (11/01/2018 13:05:22)

Cara... eu acho que você está fazendo leitura seletiva. Vamos lá...

1 - Eu não disse que não consigo anular Scapeshift. Não disse que perco pra ela. Não reclamei dela, nem da Valakut. Eu disse apenas que CtD não é tão bom assim contra Valakut, porque é bem comum nesse match as Valakuts só aparecerem na mesa quando o cara está te matando. Mas meu match contra esse deck é bom, e eu dificilmente perco pra Scapeshift. Não sei de onde você tirou que eu não consigo anular Scapeshift. Em nenhum momento disse nada remotamente próximo a isso. Só disse que CtD é no máximo mediana contra esse deck;

2 - Em adição ao argumento de que CtD é inútil contra 98% do field, eu disse que mesmo contra Tron, ela não é tão confiável assim. Tem uma porrada de "ses" pra ela funcionar. O disrupt de turno 3 é só mais um dos "ses". Vou listar e negritar aqui pra deixar claro. CtD é boa contra Tron, se você vier com ela na mão inicial ou comprá-la até o turno 4, se você tiver o disrupt correto pro turno 3 (quem nunca viu o cara jogar um Karn e você com uns Paths na mão ou o cara castar um World Breaker e você ter um Negate?), se a carta castada no turno 3 pelo oponente não for um World Breaker (porque ele vai te jogar um land pra trás mesmo que você anule), se o cara não tiver um Ghost Quarter na mesa, se o cara não tiver uma Warping Wail na mão, se você estiver na play (porque no draw você passa a precisar de 2 disrupts, e ainda corre risco de tomar um Ulamog jogando você pelo menos 2 turnos pra trás mesmo que anulado)... contei 6 "ses", e esses foram os que eu consegui lembrar agora. Acredite. Já tentei usar 3 no side do meu Jeskai, e direto uma dessas inhacas aí acontecia comigo. Mesmo quando minha mão vinha perfeita pra jogar a CtD turno 4, direto o cara tinha Warping Wail, ou ele jogava World Breaker na 3 e emendava alguma outra coisa na sequência, ou eu vinha com a resposta errada pra threat que ele jogava no turno 3, enfim... resumidamente, na maioria dos casos, ela não funcionava tão bem assim, nem mesmo contra o Gx Tron que é basicamente o único match no qual ela é realmente boa;

3 - Discordo bastante sobre Council's Judgment ser OP para o Modern. Hoje já existem dois removals próximos: Maelstrom Pulse e Detention Sphere. Nenhuma das duas é tão forte assim. Elas jogam relativamente bem nos seus respectivos decks e só. Mesmo nos decks que elas jogam, normalmente se usa 2 cópias no máximo de cada. Judgment teria vantagens e desvantagens em relação a ambas. Ela teria a vantagem de exilar sobre a Pulse, enquanto Pulse destrói todas com o mesmo nome. Sphere tem a vantagem de se livrar de todas com o mesmo nome e de poder ser reaproveitada por Cryptic Commands, por exemplo, enquanto Judgment elimina um alvo só, não toma remoção como a Sphere e pode ser reaproveitada por Snapcaster. Enfim... nem Pulse, nem Sphere são grande coisa no formato atualmente e Judgment não seria nem mesmo estritamente melhor que elas.

Raimek (11/01/2018 12:21:22)

Se você esta jogando de control e não tem nenhum disrupt no turno 3... Você ta jogando errado.
Ao meu ver você tomar um scapeshift e tbm não ter counter para ele, vc tbm ta jogando errado contra deck com valakult, no maximo é um ou dois trigger que você toma se tiver com CtD na mão.

Uma carta que que lidasse com qualquer non-land permanent no modern, mesmo custando 3 e sendo sorcery, iria ser forte demais. UW já tem detenção de esfera, que faz isso que tu quer e ainda lida com mesmo nome, so tem o drawback de poder ser destruida e não ser reaproveitada com snapcaster... Acho que para deck controls esta okay, modern é um formato que não é para ser dominado por uma estrategia apenas, um council effect iria colocar o control em uma posição que não existe no formato atual, iria ultrapassar com certeza a "dominancia" do twin.

VIP OURO Derkarus (11/01/2018 11:04:29)

Council's Judgment seria incrível para o modern! Não dá alvo e remove QQ coisa sem drawback.

Mas é Sorcery e tem um custo razoável.

Acho q poderia entrar. O único problema é que essas mecânicas multiplayer não entram no formato pois nunca serão lançadas no Standard...

Hollow (11/01/2018 11:01:33)

Se você leu meus comentários, você provavelmente não leu direito. Não reclamo de ter match ruim contra Tron. Acho "ok" ter 20/80 no Game 1. O que acho ridículo é não ter condições de puxar essa Win Rate pra algo melhor que 40/60 nos Games 2 e 3, mesmo puxando 6 ou 7 cartas do sideboard. Isso sim é escroto. CtD é horrível porque ela só serve contra Gx Tron, e ainda assim é lenta. Contra Eldrazi Tron ela é fraca, e contra Valakut ela pode funcionar se você der a sorte da Valakut cair na mesa sem trazer com ela 6+ triggers na sua orelha.

Conclusão: CtD é uma carta extremamente específica, que só é realmente boa contra um único deck num formato com mais de 20 decks competitivos, e mesmo contra esse deck, ela tem que entrar no turno 4, exigindo que você tenha um disrupt pro turno 3 e que o cara não tenha Warping Wail, nem GQ na mesa. Muito específica, muito situacional, muito ineficaz. Quando funciona é fantástica. Mas tem tanto "se" que não compensa. Eu cheguei a usar 3 no side do meu Jeskai pra tentar combater o Tron, mas eu perdia 3 slots do meu sideboard com uma carta que não servia pra nada em 98% dos jogos, e mesmo nos que ela teoricamente seria boa, ocasionalmente eu tomava counter nela, comia um World Breaker um turno antes de conseguir castar, eu dava draw nela no turno 6 quando o cara já tinha castado um Ulamog e resolvido um Karn, etc. Acabei tirando todas do meu side e parti pro plano ruim de mudar meu deck pra Tempo. Os Geists ao menos são úteis em mais matches e não são tão situacionais assim.

Sobre Path to Exile: ela é provavelmente o melhor removal de criaturas no Modern. Acho indiscutível seu poder. Porém, ela só remove criaturas. O seu drawback também a torna ruim em alguns matches e contra alguns bichos. Não. Não estou reclamando do PtE, nem dizendo que ele é ruim. Eu só acho que o branco merecia ter no Modern mais um removal bom, preferencialmente algum versátil, que lidasse com qualquer non-land permanent. Por isso citei a Council's Judgment. Sorcery, 3 manas, exila qualquer non-land. Me parece honesta e forte. Sinto falta de algo assim no Modern.

Raimek (11/01/2018 10:21:14)

Olha eu sou jogador de branco. Path to exile é a removal mais confiável e utilizável no modern... Ela tem um draw back alto, mas é pq não importa qual é o alvo, ela funciona.
Tem wrath e variações.
Tem encantamentos, não são jogados, mas são okay.

Agora minha pergunta, quando você joga contra Tron você fica parado? Já cansei de ler seu choro no comentário, jeskai Control jogando bem e muito, e você reclamando de Control fraco. Fala que a carta CtD é lenta, mas tu quer uma coisa que o deck casta, ou nem casta, no turno 1 e acaba com Tron, se você anular a primeira mágica grande do Tron e voltar de CtD tu ganhou o jogo já. Um ghost quater + extração na land tbm é.
Tu quer que todos os deck sejam piores que Control, quer que Control ganhe fácil de tudo e sem badmatch

Hollow (11/01/2018 08:48:08)

Mas acho importante ressaltar que, pra mim, a cor que mais precisa de ajuda no Modern não é o azul, e sim o branco. Não que o azul esteja forte, mas sua representatividade atual é muito maior que a do branco. Acho SFM um pouco fora da curva pro Modern, mas talvez fosse uma boa desbanir pra fortalecer a cor.

Também sinto falta de algo próximo a Council's Judgment no Modern. O preto não destrói encantamentos, nem artefatos (apesar de poder descartá-los), o vermelho não destrói encantamentos, o verde não destrói criaturas, o azul não "destrói nada" (embora possa dar bounce e/ou anular) e o branco teoricamente é a única cor que deveria ter removals pra tudo. É uma das poucas vantagens da cor. No entanto no Modern, o branco não tem nenhum removal versátil e confiável.

Hollow (11/01/2018 08:39:23)

Pra fortalecer o azul na minha opinião, seria muito mais eficaz e seguro tomar duas outras medidas, do que habilitar Counterspell no Modern:

1 - Banir ou nerfar o Tron;

Todo mundo sabe como é praticamente impossível bater Tron com um deck Control no Modern. Triggers on cast, PWs e bichos imensos, um monte de cantrips, Win Conditions que entram removendo as suas, etc., etc. Como o land hate disponível no Modern é ruim, fica difícil combater o deck. No meu UW eu uso 8 land hates main deck, mais 3 hates no sideboard e ainda assim meu match é desfavorável (provavelmente algo em torno de 40/60). De Jeskai deve ser algo em torno 25/75. O problema do Tron não é ele ter match bom contra Controls. É não ter hate bom de verdade pra combater nos Games 2 e 3. Blood Moon e Stony Silence eles destroem com muita facilidade. CtD é lenta, específica e ruim demais. Summary Dismissal muito lenta e pesada. Molten Rain, Fulminator, etc., você perde um turno pra jogar, e os atrasa por um turno. Só funciona se eles estiverem zicados. Enfim...;

2 - Banir Pact of Negation;

Ironicamente, creio que banindo uma carta azul do formato fortaleceria o azul. Pact of Negation é um counter perfeito para decks combos, inclusive decks combos que não tem azul, já que ela custa 0 e, se você pretende matar o oponente no turno em que a joga, o custo da upkeep torna-se irrelevante. Simplesmente um counter perfeito para decks combos. Enquanto isso, os Controls precisam se virar com Remand ou Mana Leak. Por causa dos Pacts, a maioria dos Controls baseados em azul apanham dos combos no Modern. Sim, Ad Nauseam, Grishoalbrand, Azusa Titan todos deram uma sumida do Modern por causa do DS. Mas todos esses são matches complicadíssimos pra Ux Controls no Modern, e acho extremamente injusto a gente ter que se virar com Mana Leak e Remand, enquanto o cara não precisa nem mesmo deixar uma mana sobrando pra usar um Dispel ou um Spell Pierce que seja, caso queira proteger o combo. Acho que se o cara quer combar com alguma proteção, no mínimo ele precisava ter de pagar algo por essa proteção, ou jogar uns Seizes antes.

Tandor (11/01/2018 01:37:22)

Não vejo problema nenhum, Counterspell não ganha jogo sozinho.
A história do MTG fala a favor de counterspell, nunca cogitou-se bani-lo, assim como raio, que vai absolutamente contra todas as estatísticas de "carta equilibrada" (tanto que não existe reprint funcional nem próximo dele), mas está aí e ninguém sente.

ArmySpy (11/01/2018 01:06:01)

Mas ai precisa levar em consideração que CS enfrenta cartas como Dase e FOW, pagar 2 manas pra anular uma magica é bem justo, de certo modo equilibrado, e justamente por isso nunca vai se cogitar banir ele...

Concordo contigo que CS não ganha jogo sozinho e tals, mas comparar o raio, que tem uma limitação de alvos com outra carta que anula qualquer coisa, independente do seu custo... Eu acho um pouco fora dos padrões sim... Raio tinha parado de jogar a alguns meses atrás pois já não estava mais matando 50% das criaturas do formato, já a CounterSpell nunca perderia o lugar dela e tornaria todas as outras counter obsoletas... Toda via, espero que a Equipe de playtest já tenha usado ela. Por mais que eu ache que ela poderia ser muito forte, assim como vc disse, ela não ganha jogo e eu não ralharia se ela viesse a dar as caras no formato... Eu já acho um absurdo a Seize fazer o que faz (que na minha opinião deveria ser ban, pois tem varias opções de descarte na mesma curva, e o uso dela junto a kozilek ao meu ver é saturado).

HHHH (11/01/2018 00:57:07)

Por mim não desbane nada. BBE é muito mais forte que CoCo porque o BBE não te obriga a ter um deck de criaturas de custo 3 ou menos para a mágica funcionar direito, já a habilidade de cascata do BBE vai procurando qualquer tipo de carta não-terreno (instant, feitiço, planeswalker, artefato, criatura), o que te dá um power level muito superior no deckbuilding (e mesmo vc não sabendo ao certo o que vai resolver vc sabe que vai ser algo poderoso e que vai prejudicar bastante o oponente - a menos que vc construa mal o deck) além disso a mágica da cascata vai resolver mesmo que vc anule o BBE. E o BBE ainda tem ímpeto, que é pra te amar loucamente. Deixem esse satanás queimar no mármore do inferno para a eternidade. Amém!

Tandor (11/01/2018 00:45:19)

Não vejo problema nenhum, Counterspell não ganha jogo sozinho.
A história do MTG fala a favor de counterspell, nunca cogitou-se bani-lo, assim como raio, que vai absolutamente contra todas as estatísticas de "carta equilibrada" (tanto que não existe reprint funcional nem próximo dele), mas está aí e ninguém sente.

Raimek (11/01/2018 00:36:47)

OC TA LOUCO??????
Blazing Shoal é maquina até fora do infect. Tudo bem que o infect tu toma e perde, mas... mas você toma um Goblin Guide/Swiftness Manastery turno 1 do oponente e turno 0 seu, ele manda um Blazing Shoal e bate 12 antes de você respirar, um shockland em pé tu ta no alvo de 2 raios...

Chega de combo no modern!!! Não precisa de desbanir nenhuma carta de combo, muito menos desbanir o splinter twin! Já chega de deck unfair no modern, melhor coisa que fizeram foi banir splinter, mudou todo o formato, deixou ele mais solto para decks aparecerem, era uma estrategia muito ruim de se jogar contra...
Eldrazis e Death & Shadow tiverem sua popularidade(+de 11%) por alguns meses, splinter ja tava la mais de uma temporada inabalável...

Discordo que SFM seja ameaça, ela é carta de fair deck. Vamos la:
Turno 2 seu, SFM pega batterskul, turno 3 do oponenete de combo faz algo, turno 3 seu, usa stoneforge para colocar batterskul em campo, turno 4, se for storm vc perdeu, se for titanshift sua batterskul NAO FAZ NADA, se for death shadow ela é menor que TUDO do deck, e vai tomar todas removals, se for tron ele tem um ugin em campo ou um karn ou um wurmcoil, se for um humanos vc tomou um reflect mage, e tomou letal, se for um abzan counters você deixou o cara combar praticamente, unico deck que vc ganhou é um burn... Fazer uma stoneforge no modern não é a mesma coisa de fazer uma stoneforge no legacy e no t2 da epoca, você deixou todas suas defesas abertas em um ambiente que praticamente todo deck main tem como lidar com um batterskul e no side todos estão praparados para enfrentar affinity, então já vai ter side pronto contra SFM... Fazer splash para ela é facil, mas ela valeria esse splash? Se valer, bem, temos mais um deck fair no modern, o que não pode é mais um deck unfair.
O magic evoluiu em powerlevel, o que já foi forte demais, hoje talvez seja apenas uma carta mediana, algumas cartas sempre serão quebradas, por não darem a oportunidade do oponente interagir, já outras só foram castigadas com o ban por estarem a frente do seu tempo, mas esse tempo não seria agora?

ArmySpy (11/01/2018 00:29:41)

Eu sou obrigado a concordar, que por mais que ela possa não ter diferença alguma nos primeiros turnos se compararmos com um mana leak, ainda assim boa parte dos combos acabaria sofrendo o que o affinity sofre: muito hate.

Eu jogo com Merfolk no modern, e se counterspell fosse uma opção valida, o deck já acabaria adicionando 2 delas no MD e as outras duas no Side... E tantos outros decks fariam o mesmo.

Por mais que ela faça o seu 1x1 nas trocas, ainda assim é 2 manas para anular X manas gastas do cara... Imaginem o Stubborn Denial anulando qualquer carta sua...

Hollow (10/01/2018 19:44:39)

Bom... eu jogo de azul. Jogo de Jeskai Control IRL e UW Control no MTGO. Te garanto que eu aplico muito mais counterspells do que tomo. Eu seria imensamente favorecido se essa carta fosse lançada no Modern, mas ainda assim acho que seria ruim para o formato como um todo. Acho poderosa demais. Mas, obviamente, eu sou só um Zé Ninguém e minha opinião não vale um iogurte vencido.

Tandor (10/01/2018 19:30:27)


Eu queria muito ver um campeonatinho modern que permitissem, para experimentar o que iria acontecer na prática, duvido muito que iria virar um mar de monoblue, já que não tem efeito de compra ou manipulação decente no formato.
O efeito psicológico de tomar um counter afeta muito mais as pessoas na hora de avaliar a carta do que o prático.

Hollow (10/01/2018 19:14:48)

"Não tem resposta" pra mim é um argumento minúsculo frente a diferença de desempenho no late game, a proteção contra top decks e a diferença de fazer o oponente perder o turno tentando jogar a carta que você vai responder.

Boi de piranha não funciona muito se o cara vai anular com 2 manas. A menos é claro, que ele tenha só um counter na mão. Mas nesse tipo de situação, normalmente o que decide se algo vai entrar ou não é a quantidade de mana disponível por parte do blue player. Se o cara vai anular com 2 manas, dificilmente essa estratégia vingaria. Com Cryptic funciona porque o cara vai ter de pagar 4 manas pra anular. Com Counterspell, na maioria dos casos, não. Fora que aí você tá contando com uma certa "missplay" por parte do seu oponente.